Nesta quinta-feira, 25, às 9h45, Papa Francisco receberá as chaves da cidade do Rio de Janeiro na presença do prefeito Eduardo Paes, no Palácio da Cidade, uma das sedes do governo municipal. A entrega das chaves é um ato simbólico que representa o livre acesso à cidade e se realiza, tradicionalmente, em muitas partes do mundo, a visitantes ilustres como prova de confiança. A chave que será entregue é feita de prata, mede 28cm x 9,8 cm e demorou mais de dois meses para ser produzida. A inspiração para o desenho foi a cruz, um dos símbolos mais importantes da Igreja Católica. Com um estilo medieval, os crucifixos aparecem no desenho que registra a primeira viagem do Papa ao Rio de Janeiro, em julho de 2013.

Fã de futebol e torcedor do San Lorenzo de Almagro, Papa Francisco irá benzer as bandeiras olímpica e paralímpica na cidade que se prepara para receber os Jogos, em 2016. Cerca de 300 esportistas participarão da cerimônia. A Cruz Olímpica e o ícone da paz são símbolos cristãos que, em 2014, visitarão as doze cidades sede da Copa do Mundo. Eles estarão no Palácio e serão apresentados ao Papa pela nadadora Fabiola Molina e pelo jogador de vôlei Riad Ribeiro. A bandeira olímpica será entregue ao Papa na varanda do Palácio pelos guardas da bandeira. Estarão presentes atletas de destaque no país, como Pelé, Zico e Oscar Schmidt, além do nadador César Cielo e da ginasta Daiane dos Santos.

Essa não é a primeira vez que um Papa mostra interesse pelos Jogos Olímpicos. Papa Pio X incentivou a iniciativa do Barão de Coubertain e foi o primeiro a abrir as portas do Vaticano aos atletas. João XXIII também saudou os atletas durante os Jogos Olímpicos de Roma, em 1960. Em 2000, João Paulo II destacou os Jogos Olímpicos. Finalmente, em 2012, Bento XVI se referiu às Olimpíadas como “o maior evento esportivo, em que participam atletas de muitos países e, por isso, tem grande valor simbólico. Por isso, a Igreja Católica a vê com especial simpatia e atenção“. Papa Francisco já salientou, em outros momentos, o valor do esporte como elemento de união entre as pessoas.

Varginha – Complexo de Manguinhos

Depois de sair da cerimônia no Palácio, o Papa visita a comunidade de Varginha, criada em 1941 e situada no complexo de Manguinhos, na Zona Norte do Rio. A população de Manguinhos é de, aproximadamente, 45 mil habitantes e o complexo é composto por 13 comunidades, sendo a Parque Oswaldo Cruz (Amorim) a mais antiga, fundada por imigrantes portugueses em 1901. A área sofreu com a saída de indústrias da região, na década de 80, e hoje, vivem em Varginha pouco mais de 1.150 pessoas (números não oficiais falam em 2.500 habitantes). A área tem uma história de violência, criminalidade e tráfico de drogas. Antes de ser pacificada pelo governo, em 2012, era conhecida como “faixa de Gaza”, pelas guerras entre grupos de traficantes rivais. Ao visitar a comunidade, Papa Francisco repete o ato de João Paulo II que, em 1980, visitou a comunidade do Vidigal, na Zona Sul do Rio.

Programação

O Papa chegará acompanhado pelo Padre Marcio Queiroz, pároco da comunidade, do vigário Paroquial e a Superiora das Missionárias da Caridade.  Não é a primeira vez que um representante da Igreja visita a comunidade. Em 1972, Madre Teresa de Calcutá visitou o local e, desde então, a área conta com o trabalho das Missionárias da Caridade, que atuam na evangelização das crianças e apoio às famílias.

O Papa visitará a pequena igreja de São Jerônimo Emiliani, religioso italiano, considerado “patrono universal dos órfãos e jovens abandonados” (Pio XI, 1928). A capela foi inaugurada em 19 de julho de 1971, na presença do Arcebispo da cidade. No final dos anos 80, passou por uma reforma. No pátio externo, Francisco se encontrará com doentes, pessoas com deficiência, idosos e crianças. Depois de um momento de oração, haverá a benção do novo altar. O Papa também oferecerá um cálice de presente para a paróquia.

De lá, se dirige ao campo de futebol onde o campeão do mundo Jairzinho treina jovens e crianças. A “laje” de onde o Papa fará a saudação é usada pelas crianças da comunidade para soltar pipa. No caminho até o campo, o Papa visita a casa de uma família e abençoa o casal Rangler dos Santos Ireneu e Joana Alves de Souza Carvalho. As crianças também aproveitam a ocasião para dar presentes ao Santo Padre.

A visita é um encontro do Papa Francisco com os menos favorecidos. A Jornada Mundial da da Juventude quer abrir espaço para que eles participem do momento de festa e oração. Além de levar alegria e esperança a um enorme número de jovens que moram em áreas mais pobres da cidade e que não poderiam ficar excluídos de um evento que quer envolver os jovens na criação de um novo mundo.

A comunidade de Varginha foi uma escolha conjunta do Governo e da Santa Sé, entre uma lista de comunidades atendidas pelo serviço diocesano. A escolha por uma comunidade menos conhecida da cidade é justamente para ressaltar a importância de olhar para quem está à margem, porém todas as comunidades serão representadas por ela.

Por Imprensa JMJ
Anúncios