O Santo Padre recebeu em Audiência na manhã desta segunda-feira, na Biblioteca privada, no Vaticano, o Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que sucessivamente encontrou o Secretário de Estado Pietro Parolin, acompanhado do Sub-Secretário para as Relações com os Estados, Dom Antoine Camilleri.
Durante os cordiais colóquios, tratou-se da complexa situação política e social do Oriente Médio, com particular atenção à retomada das negociações entre israelenses e palestinos, auspiciando-se que uma solução justa e duradoura, no respeito dos direitos humanos para as duas partes, possa ser atingida o mais breve possível.
Além da possível peregrinação do Santo Padre à Terra Santa, também foram abordadas algumas questões pertinentes às relações entre as Autoridades de Israel e as comunidades católicas locais, assim como entre o Estado de Israel e a Santa Sé, com o desejo de uma pronta conclusão do Acordo, há tempos em preparação.
O Premier Netanyahu presenteou o Papa Francisco com um livro escrito pelo seu pai, conhecido historiador, e publicado em 1995, intitulado “As origens da Inquisição – A Espanha no 15º século”. Na dedicatória o Premier israelense escreveu: “À Sua Santidade Papa Francisco, grande custódio da nossa herança comum”. No livro, o pai de Netanyahu defende a tese de que durante a Inquisição espanhola os católicos não ofenderam os judeus. O Primeiro Ministro também deu ao Papa uma Menorah em prata, onde estava escrito: “À Sua Santidade, com grandíssima estima”. O Santo Padre retribuiu os presentes com uma representação de São Paulo em bronze.

Por news.va

Anúncios